domingo, 13 de julho de 2008

A COOPERBOM TURISMO visita a RPPN Mãe da Mata

Ronaldo e Carla Sant'Ana recepcionando a Cooperbom Turismo.
Pau-Brasil, uma das árvores da RPPN.
Ronaldo e Carla Sant'Ana recepcionam a Cooperbom Turismo na entrada da RPPN.
Uma reverência à secular Gindiba, a "Mãe da Mata".O Proprietário da RPPN Mãe da Mata Ronaldo Santana, o Cel. Winston Meireles e Maria Morais.
Pausa para um descanço dos cooperados Jamerson Merlo, Conceição Bezerra, Sra. Raimunda, Raissa Meireles, Rebecca Barreto, Marissa Alencar, Maria Morais e o Cel. Winston Meireles.
Degustação de deliciosas frutas na metade do passeio.
O Alambique da Cachaça Rio do Engenho.
Ronaldo Sant'Ana explicando o processo de produção da famosa cachaça.

Cel. Winston Meireles, O agrônomo Augusto da Tecnave Consultoria e proprietário de outra RPPN da região e Maria Morais.

A COOPERBOM TURISMO, esteve em visita neste domingo, 13 de julho, à RPPN Mãe da Mata, cuja gestão do também nosso cooperado, o sociólogo Ronaldo Sant'Ana, sua esposa a psicoterapeuta Carla Sant'Ana e seu filho Leonardo, tem contribuído enormemente para a preservação da Mata Atlântica no sul da Bahia.
A RPPN Mãe da Mata está localizada no Corredor Central da Mata Atlântica em Ilhéus-Ba, Brasil nas terras do grande engenho de Sant'Anna, o qual pertenceu a Mem de Sá, Terceiro Governador Geral do Brasil. Como todos os visitantes, fizemos um rico e educativo passeio por belíssimas trilhas na mata onde pudemos observar a riqueza deste lugar com uma grande diversidade de fauna e flora numa "floresta de chocolate".
Uma RPPN é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural, uma área privada, gravada com perpetuidade, com o objetivo de conservar a diversidade biológica no Brasil.
A criação de uma RPPN é um ato voluntário do proprietário de uma área, que decide transformar toda ou parte desta em uma RPPN, sem que isso ocasione a perda do direito de propriedade. Este tipo de reserva tem o objetivo de promover a educacão ambiental.
Por meio do Decreto nº 98.914/1990, ficou atribuída ao IBAMA a competência de reconhecer estas reservas particulares, a partir da iniciativa de seu proprietário, em áreas onde fossem identificadas condições e caraterísticas que justifiquem ações de conservação, pelo seu aspecto paisagístico, ou para a preservação do ciclo biológico de espécies da fauna e da flora nativas do Brasil. As RPPN's, surgiram em 1977, quando alguns fazendeiros, principalmente, do Rio Grande do Sul, sentiram a necessidade de dar Proteção oficial às suas propriedades rurais, face a pressão de caça incidente sobre as mesmas. As RPPN's são importantes para a conservação porque: (1) contribuem para uma rápida ampliação da áreas protegidas no país; (2) Atuam como zonas-tampão no entorno de parques reservas, constituindo-se em corredores ecológicos; (3) Apresentam índices altamente positivos na relação custo-benefício; (4) São facilmente regulamentadas. Possibilitam a participação da iniciativa privada no esforço nacional de conservação; (5) Contribuem para a compensação da biodiversidade dos biomas brasileiros.
As propriedades particulares podem ser preservadas e reconhecidas pelo Poder Público como RPPN's, sem prejudicar os direitos do proprietário que também pode requerer o reconhecimento integral ou parcial de sua propriedade.
A RPPN Mãe da Mata promove de acordo com a época de plantio e o calendário escolar, diversas atividades de Educação Ambiental, exercendo a consciência ecológica de uma forma divertida e dinâmica. A agricultura orgânica praticada na área é certificada pelo IBD, com produção de cacau, cupuaçú, pitanga, e outras frutas da região. Existem várias nascentes que formam o rio São João, tem roda d'água, bica, cachoeirinha e lago com vários tipos de peixes.
Com uma rica fauna onde pode-se encontrar animais como o ouriço preto, paca, cotia, mico-leão da cara dourada, pica pau, e muitos outros, e uma flora de igual valor biológico como o Pau-brasil, massaranduba, angelim, bromélias, orquídeas, etc., a RPPN Mãe da Mata é uma das mais belas áreas preservadas da região, onde também tivemos o prazer de observar em extase a Gindiba, uma árvore secular, a maior da reserva que deu origem ao nome oficial da RPPN.
Na metade do passeio paramos para degustar os frutos dourados do cacau, além de frutas orgânicas variadas como, banana e cupuaçu entre outras, e uma água de côco deliciosa. Continuando o passeio, visitamos o alambique, onde pudemos degustar uma cachaça fina envelhecida em toneis de madeira. Terminamos o passeio com uma leveza interior maravilhosa, pois nos sentimos parte do ambiente. O equilíbrio humano está diretamente ligado ao equilíbrio ecológico. Se o homem continuar desmatando, promovendo queimadas, caça e pesca indiscriminadas, as maiores vítimas serão os próprios. No mundo globalizado em que vivemos, sofrendo as mudanças climáticas cuja transformação da natureza está em marcha célere em nome do progresso e crescimento econômico, PRESERVAR é a palavra de ordem!
Aos nossos cooperados e amigos Ronaldo e Carla Sant'Ana, o nosso muito obrigado por tão belo e desprendido trabalho de grandes proporções para a humanidade.
Saudações Cooperativistas!
Equipe COOPERBOM TURISMO.

Nenhum comentário: